Julho 10 2014

 

- Está a coordenar um novo projeto de solidariedade na Terceira. Chama-se ajud’ARTE e começa, agora, a dar os primeiros passos. O que é, enfim, o ajud’ARTE e de que convicções nasce esta ideia?

                O ajud’ARTE é um projeto da Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo que pretende aliar a arte à solidariedade. Angariará fundos através da organização de diversos eventos (concertos, workshops, espetáculos de rua, peças de teatro…), contando com a participação graciosa de artistas e voluntários que queiram dispor do seu tempo e talento a favor de diferentes causas sociais. Deste modo, poderemos colaborar na reparação de casas em mau estado, em tratamentos e exames médicos, adquirir diversas ajudas técnicas, como cadeiras de rodas e andarilhos e responder, da melhor forma possível, aos diferentes pedidos que forem surgindo. Contaremos também com a ajuda de profissionais qualificados e entidades oficiais para a sinalização e seleção dos casos a ajudar e com parcerias e patrocínios por parte de diferentes empresas locais, o que nos permitirá um melhor aproveitamento dos recursos do projeto.

                A ideia nasce como sendo uma forma de ligar dois mundos que nos são muito próximos (o do voluntariado e o da arte) e da convicção de que, juntos, poderão fazer a diferença na nossa sociedade.

 

- De que forma é que a Santa Casa da Misericórdia está envolvida no projeto?

                A Santa Casa da Misericórida de Angra do Heroísmo é a entidade promotora e enquadradora do projeto. Esta iniciativa assenta num princípio de diversificação dos projetos de voluntariado da Instituição, nomeadamente no que se refere ao objetivo de promoção do voluntariado jovem orientado para o público interno da Instituição mas também para a comunidade envolvente. Surge, portanto, no âmbito do plano de atividades do Serviço de Voluntariado da Instituição.

 

- E como é que têm vindo a divulgar a ideia?

                A ideia tem sido divulgada na internet, através do facebook do projeto, em cartazes distribuídos pela cidade e em alguns meios de comunicação social locais. Para além disso, foi feita, durante o mês de maio, uma ação de sensibilização em algumas escolas da ilha, da qual resultaram as primeiras inscrições de voluntários jovens. Está também em construção o site do ajud’ARTE onde, para além de divulgarmos todos os eventos promovidos, poderemos mostrar o resultado das ações realizadas.

 

- O ajud’ARTE vive da boa vontade de quem quiser associar-se à ideia. Têm recebido propostas de gente que quer emprestar seu talento? Que leitura faz, aliás, da preocupação dos jovens sobre as questões da solidariedade e da ajuda ao próximo?

                O ajud’ARTE tem sido, de uma forma geral, muito bem recebido e apadrinhado. Têm havido vários jovens interessados em juntar-se a nós, alguns mostrando o seu talento e outros ajudando na logística do projeto. Para além dos voluntários, todos os artistas contactados, até agora, se têm mostrado bastante recetivos e disponíveis para colaborar connosco, quer para atuarem em algum evento ou para colaborarem num workshop. Por parte das empresas locais, a resposta também tem sido muito positiva. Conseguimos já diversos patrocínios (Escritório Digital, Tipografia Moderna, União Gráfica Terceirense, T-Shirt Mania, entre outros) e apoios (Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, Associação Burra de Milho, Academia da Juventude e das Artes da Ilha Terceira, CFA da EPSCMAH e outros), o que nos permitiu que toda a divulgação e recursos necessários para as ações dinamizadas fossem conseguidos sem qualquer custo.

                A partir da experiência que tenho, quer como voluntária do ajud’ARTE, quer como voluntária da Santa Casa da Misericórdia, só posso concluir que os jovens também se interessam e preocupam com o próximo e com estas questões da solidariedade. Tal como todos os outros, eles vivem numa sociedade tão agitada e preenchida, que muitas vezes se torna difícil de conseguir conciliar o voluntariado com a avalanche de atividades diárias que os ocupam. No entanto, quando as oportunidades surgem e são confrontados com estas situações, a grande maioria dá o seu melhor para ajudar e colaborar o máximo possível.

                Qualquer pequena ajuda faz a diferença. Melhoramos a vida daqueles que precisam dela e crescemos muito como pessoas e como cidadãos.

 

- Já tem agenda para as próximas atividades?

                Temos projetada uma série de workshops mensais, que começou no passado mês de junho com um workshop de Dancehall e que terá continuidade este mês, num workshop de canto, com data a divulgar brevemente. Para além disso, estão a ser organizados diversos concertos, festas temáticas e serões culturais, que serão oportunamente divulgados. Estamos também a reunir um grupo de jovens que atuará em concertos de rua durante este verão, como forma inovadora e divertida de todos poderem colaborar neste projeto, mesmo sem ter um grande talento.

 

Entrevistada: Mariana Oliveira, voluntária da SCMAH

publicado por servoluntariosempre às 10:59

mais sobre mim
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


Contador de visitas
pesquisar
 
blogs SAPO